RADIO GESSO

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Em celebração dedicação do altar dom Fernando faz apelo pela vida

O altar desnudo no início da celebração fazia parte de um ritual que é vivenciado apenas uma vez na história de uma paróquia: a solene de dedicação do altar. A riqueza dos detalhes litúrgicos pôde ser participada pelos fiéis da Paróquia São Raimundo Nonato, em Várzea Alegre, que neste dia 30 de novembro, comemoraram também a dedicação da Igreja Matriz e os 153 anos de criação da paróquia.

Sendo presidida por dom Fernando Panico e concelebrada pelo pároco, padre José Mota, o vigário, padre Francisco Erivânio, o vigário de Brejo Santo, padre Pedro André, e o pároco de Batateiras (Crato), padre Paulo Borges que neste dia comemorava seus 14 anos de ordenação sacerdotal, a missa durou pouco mais de duas horas.

Calmamente dom Fernando realizou cada parte do ritual, para que a assembleia compreendesse todos as ações ali realizadas, desde a unção com óleo do crisma em todo novo altar, até o momento em que foram colocadas as toalhas, velas e flores. Mas em suas palavras um assunto teve destaque neste dia em que o Supremo Tribunal Federal (STF) disse que o aborto até o terceiro mês de gravidez não é crime: a luta constante pela vida em todas suas etapas de gestação.

“Eu não posso deixar, nesta oportunidade queridos, de dizer publicamente como bispo de vocês e da Igreja Católica, a minha indignação e o meu repúdio por aquilo que nós estamos sabendo que no Brasil tem acontecido: a notícia de que o STF liberou o aborto para os primeiros três meses de gravidez. Isto é contra a doutrina da Igreja, é contra o bom senso. Matar um inocente com três meses, um mês ou um dia de fecundação é sempre um crime. Não podemos aceitar passivamente esta abominação”, disse dom Fernando argumentando sua fala no princípio de que a Igreja deve ser sinal de vida e esperança para todos os povos, todos os membros, todas as raças e todas as nações e, citando o quinto mandamento da lei de Deus (Não matar), concluiu: “Devemos condenar esta lei injusta que oprime a vida humana”.

Durante a solenidade ainda foram inseridas no novo altar as relíquias de cinco santos, abençoado o novo sacrário, e, após a bênção final, descerrada, próximo a porta de entrada, a placa que marca este momento histórico para a Paróquia São Raimundo Nonato, que a partir do próximo ano celebrará, todo dia 30 de novembro, não só o dia de Santo André Apóstolo, mas também a Solenidade de Dedicação da Igreja Matriz e do Altar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário