RÁDIO GESSO

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Descaso no IML de Quixeramobim cadáveres estão sendo sendo recolhidos sem perícia na região Central

O Ministério Público Estadual-MPE tem que agir rapidamente, no sentido de normalizar a problemática situação do Núcleo de Perícia Forense da Região Central, situado em Quixeramobim. Faltam peritos e médicos legistas na unidade.

Para se ter ideia, os corpos estão sendo recolhidos para o Instituto Médico Legal-IML de Quixeramobim, sem nenhum procedimento legal. Crimes como homicídios e acidentes de trânsito é obrigatório por lei que sejam realizados perícias nos locais dos sinistros.

Informações colhidas pelo portal Revista Central revelam que, de segunda-feira a sexta não existe perito de plantão do Núcleo de Perícia Forense da Região Central. Atualmente, apenas um profissional tem que atender quase 30 municípios de duas regiões: Central e Jaguaribara, o que é impossível.

Sem perícias, vários crimes podem ficam sem material para que os autores sejam condenados na justiça. A impunidade tende a continuar aumentando.

Outro sério problema é a falta de médicos legistas na unidade, por várias vezes, as equipes dos rabecões têm que se deslocar para o Núcleo de Perícia Forense de Canindé.

Enquanto ninguém toma nenhuma providência, famílias das vítimas sofrem com o descaso. Alguns corpos ficam expostos por várias horas à espera de uma decisão.

A população espera que o Ministério Público Estadual adote medidas legais para que este descaso seja resolvido o mais breve possível.

Fonte - Revista Central

Nenhum comentário:

Postar um comentário