RADIO GESSO

segunda-feira, 27 de março de 2017

Unica Quadrilha do Crato que pede ajuda em semáforo para manter o grupo

O Grupo Cultural Tradição Junina da Cidade do Crato, bairro seminário está enfrentando sérias dificuldades para dançar mais um São João no ano de 2017. A três anos o grupo existe com a coordenação do Professor Edson Cordeiro Nascimento que tenta manter acesa a cultura Junina no município do Crato que ao longo dos anos foi acabando até chegar na situação atual com apenas uma quadrilha representando o município nos festivias das cidades da região do Cariri. O grupo trabalha com 35 jovens de diversas idades e de vários bairros da cidade, entre eles seminário, vila alta, batateiras, alto da penha, parque grangeiro,  murití e também dos distritos bela vista e ponta da serra e conta com a ajuda de uma equipe de produção  (amigos e pais de dançarinos) de pouco mais de 10 pessoas. Esse trabalho social tem apresentado um belo resultado nos anos de 2015 e 2016 mas tudo com muito esforço, muitas dificuldades finaceiras e falta de apoio por parte da cultura municipal. Os ensaios do grupo em 2016 foram realizados ao ar livre na encosta do seminário com a ajuda de um morador das redondezas que cedeu a energia eletrica de sua casa para que eles ligassem o som. Nos dois anos citados o grupo utilizou o mesmo figurino e aproveitou grande parte dos acessórios para ir às quadras novamente porém apresentando-se poucas vezes devido a falta de dinheiro para pagar as viagens, muitas vezes para lugares bem próximos  como Juazeiro do Norte ou Ponta da Serra. Essa é sem dúvida uma situação lamentável para a nossa cidade que detem o título de capital da cultura e também para esse grupo de jovens que trabalham desde Dezembro pra apresentarem seu espetaculo em Junho. O grupo não tem apoio financeiro para custear figurino acessórios e as viagens para as competições. Tudo que a quadrilha utiliza em suas apresentações foi adiquirido através do trabalho do grupo com rifas e a maior parte com a doação de motoristas no semáforo da Praça Alexandre Arraes (quadra bicentenária), movimento que o grupo denominou de Pedágios. Os pedágios acontecem no final da tarde e a cada vez que o semáforo fecha os participantes vão até os carros explicam a situação do grupo e pedem uma pequena doação ao motorista. O responsável pelo grupo procurou a secretaria de cultura do município em 2015 e 2016 e não obteve sucesso na sua busca por ajuda, inclusive a alguns anos atrás a secretaria de cultura disponibilizava uma ajuda de custo para as quadrilhas e nesses dois o grupo Tradição Junina não recebeu essa ajuda. Para o ano de 2017 fica aqui um apelo desse grupo aos gestores do município para que o ajudem pois as dificuldades continuam, esse ano quadrilha não iria acontecer,  mas pensando no grupo de mais de 35 pessoas envolvidas e tentando vencer esse desafio o professor Edson continua lutando para até o mês de Junho está com tudo pronto para levar esssa jovens até as quadras pra fazerem um lindo espetáculo junino. Toda ajuda será bem vinda, o grupo não tem espaço para ensios e ja cogitam voltar à encosta do seminário para dar continuidade aos trabalhos. Para uma artista essa situação é lamentável. Onde está a cultura da nossa cidade?
Se você pode ajudar o grupo cultural Tradição Junina entre em contato com o professor Edson 

Cordeiro. Através dos números 

9 9245-4698

9 9729-2863

Nenhum comentário:

Postar um comentário