Usuarios On-line


sábado, 17 de abril de 2021

Adolescente desaparecida do Rio de Janeiro é encontrada três meses depois trancada em casa em Catunda



A Polícia Civil resgatou nesta quinta-feira (15) uma adolescente de 16 anos que abandonou a família no Rio de Janeiro para vir ao Ceará após iniciar um relacionamento com um homem de 25 anos no fim de 2020. A jovem foi encontrada trancada em uma casa no município de Catunda e estava em situação de vulnerabilidade.
De acordo com a Polícia Civil, a adolescente morava no Bairro São Cristóvão, na capital fluminense, quando se envolveu com o cearense. Em 25 de dezembro, ela comunicou à família que sairia de casa para morar com uma amiga em uma comunidade na cidade, mas ao ser procurada pelos parentes no local, ela não foi encontrada.
A família buscou contato com a adolescente por telefone, aplicativo de mensagem e rede social, mas foi bloqueada em todos os meios de comunicação. Por meio de contato com amigos, os parentes descobriram que a adolescente havia viajado para o Ceará, onde o seu companheiro possui familiares.
Após investigações da Polícia Civil dos dois estados, os agentes descobriram o endereço onde o homem reside, mas ele não estava no local. Após buscas, ele foi encontrado no imóvel de um tio, que confirmou saber a localização da vítima, em uma residência no distrito de Paraíso, zona rural de Catunda.
Segundo a delegada Arlete Silveira, titular da 12ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a jovem não tinha sequer as chaves da casa onde estava trancada. “A vítima estava em situação de vulnerabilidade dentro de uma casa toda fechada e onde ela não tinha acesso às chaves. Apesar disso, garantiu que o isolamento era voluntário para não se contaminar com coronavírus, mas tudo indicava que o relacionamento era muito abusivo”, explicou.
Após o resgate, a vítima foi encaminhada à casa da família, no Rio de Janeiro. O companheiro da adolescente, sem antecedentes criminais, foi liberado. Ainda assim, o caso será investigado pela Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Decav) da Polícia Civil do Rio de Janeiro, com apoio da Polícia Civil do Estado do Ceará.

Fonte: Diário do Nordeste