Usuarios On-line


segunda-feira, 19 de abril de 2021

Dia do Índio 2021



Nesta segunda-feira (19 de abri de 2021) é Dia do Índio. O Blog do Lauriberto traz as lembranças sobre o Dia do Índio 2021:

Senador Cid Gomes (PDT-CE) - Neste Dia do Índio, impõe denunciar o descaso e as ameaças contra os indígenas pelo atual Governo. Ocupação irregular de terras sem fiscalização, redução dos recursos para a saúde, truculência, violência e fome. Essa é a cruel realidade imposta por Bolsonaro aos índios".


Presidente da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor), vereador Antônio Henrique (PDT) -  A História do Brasil só existe se falarmos dos povos indígenas. O “Dia do Índio” foi criado em 1940, quando foi realizado o primeiro Congresso Indigenista Interamericano. Hoje é um dia, sobretudo, de reflexão sobre a importância da preservação dos povos indígenas, da manutenção de suas terras e do respeito às manifestações culturais. Um forte abraço a toda a população indígena. Feliz Dia do Índio.

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) - Ao escolher as palavras, escolha antes o respeito! Neste #DiaDoÍndio, dedicado aos povos indígenas, aproveitamos para repassar dicas recomendadas pela @funaioficial sobre expressões e termos + adequados para se referir a essas pessoas de cultura e valores milenares. Confira:



Funai - Ao homenagear os mais de 300 povos indígenas brasileiros neste Dia 19 de Abril, a Fundação Nacional do Índio (Funai) reafirma o seu compromisso com a proteção e promoção dos direitos das populações indígenas e com a autonomia das diferentes comunidades, sempre respeitando os usos, costumes e tradições de cada etnia. Nos últimos dois anos, a Funai já investiu cerca de R$ 30 milhões em projetos de etnodesenvolvimento voltados à geração de renda e ao fortalecimento cultural nas aldeias.


- A atual gestão da Funai entende que, por meio da geração de renda e do etnodesenvolvimento nas Terras Indígenas, é possível levar dignidade a comunidades de Norte a Sul do País, e nós temos muitos bons exemplos sendo desenvolvidos. É fundamental ouvir o indígena, deixá-lo caminhar como ele deseja, lembrando que as atividades devem ser submetidas a padrões ambientais e dependem da autonomia da vontade de cada comunidade”, destaca o presidente da Funai, Marcelo Xavier

Diversas iniciativas que contam com o apoio da Funai têm apresentado resultados expressivos na transformação da realidade das comunidades indígenas, como a produção de grãos do Povo Paresi no Mato Grosso, a colheita de castanha dos Cinta Larga em Rondônia, a produção de camarão do Povo Potiguara na Paraíba e a produção artesanal dos indígenas Guarani no Sul do País.

- O nosso apoio às atividades produtivas sustentáveis em Terras Indígenas busca incentivar não só o desenvolvimento autônomo de cada comunidade, mas também promover a segurança alimentar e o isolamento social nas aldeias durante a pandemia, fornecendo condições, ainda, para que essas comunidades possam continuar a se desenvolver no período pós-pandemia. Não há dúvidas de que a produção nesses territórios tem sido nossa grande aliada no enfrentamento à covid-19”, salienta o presidente da Funai.

Somente em ações de etnodesenvolvimento, a Funai já investiu cerca de R$ 18 milhões nas aldeias de todo país desde o início da pandemia do novo coronavírus. Os recursos foram destinados a atividades de piscicultura, roças de subsistência, colheita de lavouras, casas de farinha, extrativismo sustentável, produção agrícola, confecção de máscaras de tecido, artesanato, entre outras.

- Creio que, dando continuidade às ações implementadas até o presente momento, caminharemos para uma nova realidade, na qual os indígenas sejam, de fato, protagonistas da própria história”, ressalta Xavier.

Incentivo - Recentemente a Funai iniciou a aquisição de 40 grades aradoras, 40 carretas para trator e 45 plantadeiras. Os equipamentos vão permitir às comunidades indígenas manter e ampliar a produção agrícola mesmo após a pandemia de covid-19. 

- Estamos investindo para que os indígenas fortaleçam sua produção sustentável e adquiriram independência financeira, fazendo com que alcancem sua dignidade. Ao investir em etnodesenvolvimento, a etnia fortalece sua cultura, pois a autonomia econômica é uma das bases para preservar suas tradições”, pontua Marcelo Xavier.

Mesmo que o cultivo de alimentos seja uma das principais atividades nas Terras Indígenas, grande parte das aldeias não pôde comercializar seus produtos nas cidades. Em razão do isolamento social, houve a necessidade de suplementar a alimentação dessas comunidades por meio de cestas básicas. 

- Para realizar a distribuição de cerca de 600 mil cestas a comunidades indígenas de todo o país, o que representa aproximadamente 13 mil toneladas de alimentos entregues, a Funai mobilizou servidores de suas 39 Coordenações Regionais, 240 Coordenações Técnicas Locais e 11 Frentes de Proteção Etnoambiental. Este trabalho continua”, afirma Xavier.

Principais ações da Funai no combate ao coronavírus:

  • R$ 46 milhões investidos em ações preventivas.
  • Cerca de 600 mil cestas básicas entregues a indígenas (recursos próprios, doações e itens adquiridos com recursos do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e Ministério da Cidadania).
  • 170 mil kits de higiene e limpeza distribuídos a indígenas de todo o País.
  • R$ 18 milhões investidos em etnodesenvolvimento.
  • Criação da Central de Atendimento da Funai à Covid-19.
  • Suspensão das autorizações para ingresso em Terras Indígenas.
  • R$ 12 milhões destinados a ações de proteção territorial.
  • Suporte a 300 barreiras sanitárias.
  • 306 ações de fiscalização em 221 Terras Indígenas.
  • 200 mil itens de EPIs enviados às unidades descentralizadas.

Com informações e foto da Assessoria de Comunicação da Funai.