Usuarios On-line


sexta-feira, 30 de abril de 2021

Escrivão de Polícia Civil é morto com um tiro na cabeça na Delegacia de Tauá

 O Escrivão de Polícia Civil, Aloísio Alves Lima Amorim, 60 anos, foi morto com um tiro na cabeça no interior da Delegacia Regional de Polícia Civil de Tauá na madrugada de hoje(30), durante o depoimento de um indivíduo preso acusado de tráfico de drogas. Ele ainda foi socorrido para o Hospital, mas deu entrada praticamente sem vida.

Segundo as primeiras informações, o policial estava de plantão quando chegou uma composição do município de Pedra Branca conduzindo dois indivíduos acusados de tráfico de drogas. Quando o Escrivão se preparava para ouvir Antonio Josivan Lopes Silva, natural de Novo Oriente, mesmo algemado, ele pegou a arma do policial e efetuou um disparo que atingiu a cabeça de Aloísio Amorim. Em seguida, ele conseguiu fugir.

Os demais policiais que estavam de plantão socorreram o Escrivão baleado ao Hospital Dr. Alberto Feitosa Lima, mas ele já estava morto.

O autor da morte do policial fugiu e está caçado por vários policiais. Ele tem estatura alta, usa calça jeans de cor preta, camisa escura da Lacoste.

Aloísio Amorim era um dos mais dedicados policiais da Delegacia Regional de Polícia Civil de Tauá.

Condolências aos familiares e colegas de trabalho.

Repórteres: Wilrismar Holanda/Lindon Jonson