Usuarios On-line


quinta-feira, 29 de abril de 2021

Polícia conclui que tiro acidental matou assessor de Leonardo



A investigação da morte de Nilton Rodrigues da Silva, de 60 anos, primo e assessor do cantor sertanejo Leonardo, foi concluída pela Polícia Civil. Nesta quarta-feira (28), o delegado responsável pelo caso, Gilvan Borges, disse que Nilton foi atingido por um tiro acidental disparado por ele mesmo.

– Concluímos que foi morte por disparo acidental de arma de fogo em que ele atirou em si próprio. Nesse caso, ninguém que estava no local é indiciado. O laudo da balística ainda não ficou pronto, mas finalizei a investigação com o laudo do local do crime, que apontou a causa da morte como acidental – disse Gilvan Borges ao portal G1.

Por conta da conclusão da polícia, ninguém foi indiciado pela morte de Passim, como era conhecido o assessor.

O delegado sugeriu ao Ministério Público o arquivamento do caso. Apesar disso, a página do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) indica que o inquérito está sob análise do Ministério Público. A 2ª Promotoria do MP, de Jussara, revelou que ainda analisa os autos da investigação, dentro do prazo legal, e só se manifestará quando houver um posicionamento definido.

Passim morreu no dia 4 de março, na fazenda Talismã, em Jussara (GO). A propriedade onde a tragédia aconteceu pertence ao cantor Leonardo.

O assessor deixou esposa e dois filhos.